O Blog:

Não importa se fútil ou cult, aqui tem o que agrada, desperta curiosidade, riso e coisas assim. Sem rótulo e sem pudor, seja fult com a gente!

domingo, 11 de julho de 2010

Entrevista com Roberta Campos




Som adocicado que vem dominando as rádios e se alastrando pelos estados brasileiros. Roberta Campos com toda a sua simpatia e atenção nos cedeu uma entrevista. Obrigada Roberta!

Entrevista

1-Seu som era gravado de forma caseira, com capa feita à mão. Tudo bem
pessoal, caloroso. Agora com um contrato assinado com gravadora tudo
se torna mais profissional. Como você lida com esse grande salto? E
como não perder esse calor sendo profissional?

(Roberta Campos) Meu primeiro disco eu gravei na sala do meu apartamento, foi um
processo bem artesanal, fiz tudo, desde as composições até a capa. Foi
um processo bem artesanal, mas profissional, apesar de totalmente
independente.Saindo do independente, tendo um pessoal junto comigo, o maior cuidado
tomado foi deixar as canções como elas são, mantendo a originalidade.


2-O cenário independente vem crescendo de forma notável e tem
utilizado a internet como grande aliado. Você disponibiliza sempre
muitos vídeos, músicas em diversos meios de comunicação (orkut,
twitter, myspace). Agora com uma gravadora isso pode mudar? A relação
com os fãs terá algum obstáculo?

(Roberta Campos) Não.Continuo tendo total liberdade, sempre fiz isso pra divulgar
minhas canções e porque curto tbm. Pode ser que com o aumento dos
trabalhos eu reduza por falta de tempo. Eu adoro interagir com as
pessoas.


3-Temos a Mallu Magalhães como um grande exemplo de cantora folk que
ganhou reconhecimento da mídia através de suas músicas que foram
inicialmente lançadas na internet. Esse estilo de música ganhou um
maior espaço nos meios de comunicação em massa depois disso. Como você
tem percebido esse aumento de apreciadores do folk nacional?


(Roberta Campos) Na verdade a Mallu é Folk, mas muitos outros cantores e bandas que
tiveram destaque depois dela, nem todos tem o mesmo estilo. Vejo que
depois dela ficou mais notado o que já vinha acontecendo, que a
internet é uma boa aliada e que ela é um grande começo pra vc divulgar
seu trabalho. Acho que o folk no Brasil ganhou mais apreciadores sim,
mas tbm vejo muita coisa que se diz folk que não enxergo como tal. Meu
som mesmo, tenho uma pegada folk, mas não me encaixo no estilo, meu
som é uma grande mistura.


4-Como foi poder gravar uma música com um ícone musical que é o Nando
Reis? E com quais nomes almeja compor ou cantar junto (do cenário
independente ou não)?

(Roberta Campos) Foi fantástico. Eu sempre admirei muito o Nando e não poderia ter sido
melhor a escolha e o resultado. Hoje não penso ainda em alguém pra
cantar comigo, admiro varias pessoas, mas como estou nesse trabalho de
divulgação do disco novo, tenho esse grande foco. Compor é mais
complicado de dizer, pq comigo esse lance de composição é natural
demais e os parceiros surgem quando se manos espera, mas claro, tenho
grandes compositores que admiro muito.


5-Em tempos difíceis do mercado fonográfico por conta da pirataria,
você tem um catálogo de produtos que disponibiliza vinil pra edição de
colecionador, canecas, camisas e botons personalizados, que levam a
estética do seu trabalho. Conte-nos um pouco como surgiu essa idéia e
sobre a aceitação mercadológica dos produtos.

(Roberta Campos) A ideia surgiu para divulgar o trabalho, levar a arte e o pessoal tem
curtido muito, os produtos ficaram bonitos. O Vinil me deixou muito
feliz, foi como meu sonho em ter um disco começou...a aceitação está
muito boa, a galera tem curtido.


6-Suas músicas tem uma "pegada pop" bem marcante, sendo fáceis de
ficar na cabeça de quem ouve logona primeira vez. Essa questão é
pensada na hora de compor ou suas composições são puramente
intuitivas?

(Roberta Campos) Nunca. É tudo muito natural, é que tenho uma influencia pop tbm, essa
pegada é impensada, na verdade nem consigo perceber.


7-Através do seu CD de covers, percebemos múltiplas influências e de
diferentes estilos musicais, nacionais e internacionais. Já o seu CD
autoral é um álbum mais homogêneo nesse quesito; como se deu essa
definição estilo?

(Roberta Campos) Na verdade esse CD de covers foi uma pessoa que pegou musicas na
internet e montou um arquivo para que as pessoas baixassem todas as
canções de uma so vez. Eram canções que eu gostava de ouvir e acabei
gravando de pura diversão. Como vc disse, nos covers encontramos uma
certa diferença nos estilos...minhas musicas são um reflexo de tudo
isso, meu estilo se dá a tudo que ja ouvi, tudo que escuto, é
inconsciente.


Rapidinhas!

Nome completo: Roberta Cristina Campos Martins Sant'Ana
Data e local de nascimento: 29/12/1977 em Caetanópolis/MG
Um lugar: minha casa
Religião ou crença: Deus
Um ídolo: minha Vó
Um sonho: montar uma escola de musica
Maior felicidade até hoje: tenho vários momentos felizes...
Música preferida: são várias...cada dia escolho uma. rs
Uma mania: organização
Comida preferida: mexicana
Um prazer: a música

Podemos encontrar a Roberta no:
http://www.myspace.com/robertacampos
http://www.robertacamposoficial.com.br/
http://twitter.com/robertacampos
http://www.lastfm.com.br/music/Roberta+Campos
http://www.varrendoalua.com/

3 comentários:

Frank disse...

Estou longe do meu agregador RSS e demorei para saber da entrevista! rs
Darlan já havia me apresentado a música da Roberta e eu de cara gostei muito da interpretação. É, no começo o que mais me encantou foi a voz. Gosto de vozes que considero diferentes e marcantes. Depois fui escutando com mais calma as músicas e hoje gosto de praticamente todas: são simples e ao mesmo tempo profundas.
Parabéns pela entrevista! Estou adorando todas elas!

Felicidade Clandestina disse...

Gostei de conhecer o trabalho da moça =]

boas composições!

Reginaldo Fernandes disse...

A influência musical, seu timbre de voz e sonoridade , marca com certeza a volta das boas musicas . sucesso ...Fã de Montes claros .